Declaração da LogMeIn sobre o Combate ao Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas

Uma cópia assinada desta declaração em inglês está disponível para download aqui.

Revisão e aprovação: 11 de janeiro de 2021

Esta declaração conjunta, redigida conforme as disposições da Lei de Combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo do Reino Unido (U.K. Modern Slavery Act) de 2015 e a Lei Federal de Combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo da Austrália (Australian Federal Modern Slavery Act) de 2018, define o posicionamento da LogMeIn e empresas afiliadas no entendimento dos riscos potenciais do trabalho escravo contemporâneo relacionados a seus negócios, assim como as medidas tomadas para evitar qualquer um desses riscos durante o ano fiscal.

Visão geral da empresa

A missão da LogMeIn é alavancar o potencial das equipes em atuação. Nós nos esforçamos todos os dias para oferecer ao mundo os produtos, as soluções e os serviços que ajudam as pessoas a darem o seu melhor no trabalho — a qualquer hora, em qualquer lugar e de todas as formas. A LogMeIn opera no Reino Unido e na Austrália por meio de suas subsidiárias LogMeIn Technologies UK Ltd. e LogMeIn AUS Pty. Ltd., respectivamente, às quais esta declaração conjunta faz referência. Esta declaração conjunta foi desenvolvida em colaboração com tais entidades e foi aprovada pela diretoria de ambas as entidades relatoras abrangidas por esta declaração.

Nossas equipes

Uma boa parte de nossas equipes consiste em trabalhadores qualificados. Todos os colaboradores da LogMeIn estão sujeitos à verificação de antecedentes. A LogMeIn também contrata profissionais autônomos. Em razão da natureza dos tipos de trabalhos realizados por nossos profissionais autônomos, acreditamos que não há risco significativo de prática de trabalho escravo contemporâneo. A LogMeIn costuma usar agências de empregos para recrutar profissionais autônomos. Elas são selecionadas a partir de um processo de recrutamento padrão, com critérios empresariais estabelecidos.

Nossa estrutura, nossas operações e nosso relacionamento com fornecedores

Estamos comprometidos em garantir que não é praticado trabalho escravo ou tráfico de pessoas nas nossas cadeias de suprimentos ou em qualquer outro setor da nossa empresa. Por sermos uma empresa de software, nossas principais operações consistem do oferecimento de produtos, soluções e serviços de tecnologia da informação, e conduzimos uma avaliação de riscos a partir de uma análise minuciosa das nossas operações comerciais e cadeia de suprimento. Em decorrência desse processo e em razão da natureza de nossos negócios e de nosso modelo administrativo, avaliamos que há pouco risco de trabalho escravo e tráfico humano serem praticados em nossos negócios e nas cadeias de suprimentos. A LogMeIn não faz uso de uma ampla linha de fornecedores locais ou internacionais, em que a prática de trabalho escravo contemporâneo ou tráfico de pessoas poderia ser um risco significativo. Nossa cadeia de suprimentos é relativamente simples, abrangendo a aquisição de produtos e serviços necessários para as operações cotidianas das empresas, como materiais de escritório, locação de escritórios, contratação e aconselhamento profissional. Nossas ações para lidar com trabalho escravo e tráfico humano envolvem a elaboração desta declaração, o Código de Conduta de Fornecedores, o Manual do Colaborador e o Código de Ética descrito abaixo. Exigimos que todos os nossos fornecedores cumpram o Código de Conduta de Fornecedores da LogMeIn ("Código de Conduta"), que contém detalhes sobre direitos humanos e normas trabalhistas, conforme publicado em nosso site. Nosso Código de Conduta e nossa Declaração sobre o Combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo refletem nosso compromisso em atuar com ética e integridade em todas as nossas relações comerciais, assim como em implementar e reforçar sistemas e fiscalizações eficazes para garantir que o trabalho escravo e o tráfico de pessoas não sejam realizados em qualquer parte das nossas cadeias de suprimentos. De qualquer maneira, temos como objetivo fazer revisões periódicas da eficácia das diretrizes e dos procedimentos relevantes de que dispomos, bem como se tais diretrizes e procedimentos estão de acordo com as leis vigentes. Não temos indicadores-chave de desempenho em relação ao trabalho escravo ou tráfico de pessoas, pois supõe-se que todo caso seja uma violação da lei, das nossas normas de fornecedores ou das diretrizes da empresa.

Políticas e treinamentos da LogMeIn

O Manual do Colaborador da LogMeIn ("Manual") estabelece as normas de conduta para quem trabalha para ou em nome da LogMeIn e inclui o Código de Ética da LogMeIn ("Código"). O Manual está sujeito a revisões periódicas e é devidamente atualizado para garantir um alto nível da compreensão dos riscos do trabalho escravo contemporâneo e do tráfico de pessoas nas cadeias de suprimentos e para os negócios.

A LogMeIn está comprometida em proporcionar um ambiente de trabalho seguro e livre de violência. Portanto, a LogMeIn implementou uma política de tolerância zero à violência, ameaça de violência ou qualquer outra atividade ilícita no ambiente de trabalho. A LogMeIn conta com mecanismos para os colaboradores tirarem dúvidas e denunciarem possíveis violações do Código de Ética, das políticas da LogMeIn e de leis. Isso inclui perguntas e preocupações com relação a trabalho escravo e tráfico de pessoas. Nosso Código de Ética tem procedimentos e informações de contato para tratar desses assuntos, estabelecendo ainda que retaliações não serão toleradas.